Goblin
Horda
Oportunistas Avarentos

Originalmente escravos dos trolls da selva da Ilha de Kezan, os goblins foram forçados a minerar jakamita das entranhas vulcânicas do Monte Jakaro. Os trolls usaram este potente minério para seus rituais de vodu, mas o mesmo causou um efeito inesperado nos escravos que estavam em constante contato as pepitas: a jakamita desenvolveu uma surpreendente inteligência na raça goblin.

História do Goblin

Criando em segredo poderosos artefatos de engenharia e alquimia, os goblins logo sobrepujaram seus opressores, reivindicando Kezan como sua terra. As minas, que outrora serviram de prisão e campo de trabalho forçado para a raça, tornaram-se a cidade de Inframina. Lá foram construídas as bases de um império e afiaram a sagacidade (ou malandragem, segundo alguns) que lhes era inerente. Com suas invenções, eles dominariam o mundo — ou, pelo menos, garantiriam uma boa margem de lucro.

Para grande desalento dos goblins, os efeitos da jakamita começaram a passar e sua inteligência, a se esvair. Para piorar, o minério começou a se tornar escasso. Os suprimentos minguaram. O desespero bateu-lhes à porta...

As invenções dos goblins, outrora brilhantes, começaram a parecer grosseiras e mal-acabadas, fazendo com que os trapaceiros de Kezan percebessem que precisavam encontrar outras maneiras de dar vazão à sua avareza. O que lhes restava de astúcia e ganância logo alçou a raça a uma posição de destaque como mestres mercantilistas. Imensas fortunas foram amealhadas e a ilha de Kezan se tornou um centro de navios mercantis goblins. Um ambicioso príncipe mercador concordou em oferecer os serviços de seu cartel para a Horda durante a Segunda Guerra. Com a derrota da Horda, os goblins se aperceberam de que seus lucros poderiam dobrar se eles não estivessem presos a um relacionamento excessivamente restritivo. Perto do fim da Terceira Guerra, os goblins estavam prestando serviços tanto para a Horda quanto para a Aliança.

Recentemente, o Cartel Borraquilha — a facção goblínica baseada em Orgrimmar e Azshara — encontrou na Aliança um novo inimigo. Embates nada lucrativos com a AVIN, o braço secreto das forças do rei Varian, afastaram o príncipe mercador Gallywix da confortável neutralidade. Reatando antigos pactos com os ex-aliados de seus companheiros, os goblins do Cartel Borraquilha foram acolhidos pela Horda de braços abertos.

Local de início
Kezan

Graças ao desenvolvimento de Kezan como polo mercantil, o lugar foi dividido entre dezenas de distritos comandados pelos príncipes mercantis, que enxergam cada centímetro quadrado de terra como uma oportunidade para ganhar mais ouro e prata. A rica flora de Kezan é cortada por quilômetros de estradas e até mesmo as praias paradisíacas começam a ser pavimentadas para atender ao expansionismo ganancioso dos goblins. Agora a natureza volta para cobrar o que é dela – o imponente Monte Jakaro foi reativado durante o Cataclismo e seus rios de lava inundaram a ilha, agravando a situação ainda mais com marés revoltas que destroçaram a malha portuária de Kezan.

Raciais de Goblin
Salto do Foguete
Goblins podem usar seu fiel (bem, relativamente falando) cinto-foguete para saltarem curtas distâncias
Barragem de Foguete
O cinto-foguete também pode lançar foguetes contra um inimigo, causando dano de fogo ao alvo.
Hobgoblin de Carga
Goblins podem acessar o cofre do banco de qualquer lugar depois de conseguir a ajuda de um amigo fiel.
As Melhores Ofertas
Pechinchar é uma segunda natureza para os goblins e eles sempre recebem um desconto dos vendedores.
Tempo é Dinheiro
Goblins lucram mais com um bônus em aceleração.
A Poção que Desce Redondo
Goblins têm uma afinidade natural por materiais frágeis e perigosos e recebem um bônus em Alquimia.
História do Goblin

Criando em segredo poderosos artefatos de engenharia e alquimia, os goblins logo sobrepujaram seus opressores, reivindicando Kezan como sua terra. As minas, que outrora serviram de prisão e campo de trabalho forçado para a raça, tornaram-se a cidade de Inframina. Lá foram construídas as bases de um império e afiaram a sagacidade (ou malandragem, segundo alguns) que lhes era inerente. Com suas invenções, eles dominariam o mundo — ou, pelo menos, garantiriam uma boa margem de lucro.

Para grande desalento dos goblins, os efeitos da jakamita começaram a passar e sua inteligência, a se esvair. Para piorar, o minério começou a se tornar escasso. Os suprimentos minguaram. O desespero bateu-lhes à porta...

As invenções dos goblins, outrora brilhantes, começaram a parecer grosseiras e mal-acabadas, fazendo com que os trapaceiros de Kezan percebessem que precisavam encontrar outras maneiras de dar vazão à sua avareza. O que lhes restava de astúcia e ganância logo alçou a raça a uma posição de destaque como mestres mercantilistas. Imensas fortunas foram amealhadas e a ilha de Kezan se tornou um centro de navios mercantis goblins. Um ambicioso príncipe mercador concordou em oferecer os serviços de seu cartel para a Horda durante a Segunda Guerra. Com a derrota da Horda, os goblins se aperceberam de que seus lucros poderiam dobrar se eles não estivessem presos a um relacionamento excessivamente restritivo. Perto do fim da Terceira Guerra, os goblins estavam prestando serviços tanto para a Horda quanto para a Aliança.

Recentemente, o Cartel Borraquilha — a facção goblínica baseada em Orgrimmar e Azshara — encontrou na Aliança um novo inimigo. Embates nada lucrativos com a AVIN, o braço secreto das forças do rei Varian, afastaram o príncipe mercador Gallywix da confortável neutralidade. Reatando antigos pactos com os ex-aliados de seus companheiros, os goblins do Cartel Borraquilha foram acolhidos pela Horda de braços abertos.

Local de início
Kezan

Graças ao desenvolvimento de Kezan como polo mercantil, o lugar foi dividido entre dezenas de distritos comandados pelos príncipes mercantis, que enxergam cada centímetro quadrado de terra como uma oportunidade para ganhar mais ouro e prata. A rica flora de Kezan é cortada por quilômetros de estradas e até mesmo as praias paradisíacas começam a ser pavimentadas para atender ao expansionismo ganancioso dos goblins. Agora a natureza volta para cobrar o que é dela – o imponente Monte Jakaro foi reativado durante o Cataclismo e seus rios de lava inundaram a ilha, agravando a situação ainda mais com marés revoltas que destroçaram a malha portuária de Kezan.

Capital
Porto Borraquilha

Com a destruição dos principais portos de Kezan, muitos sobreviventes do Cartel Borraquilha fugiram e se aliaram à Horda, restabelecendo nova residência no Porto Borraquilha, na costa de Azshara. As origens da cidade sempre foram alvo de especulação por parte de outras raças; Porto Borraquilha foi construída em tempo recorde, logo após a chegada dos refugiados de Kezan, e logo a região já começou a exibir sinais de desordem e agitação. As tropas de Orgrimmar se instalaram recentemente em Borraquilha, mas o valor estratégico do porto já incomoda algumas lideranças, que esperavam transformar a nova cidade em uma nova versão do antigo lar do clã (replete de antros de jogatina, casas de prazer e outros pontos luxuosos). Este cisma cultural possivelmente trará tensão na Horda antes do que se imagina.

Líder
Gallywix

Após o cataclismo ter reativado um vulcão em sua ilha natal, o Príncipe Mercador Gallywix percebeu que poderia fazer um bom dinheiro, oferecendo para os refugiados bilhetes para seu seguro navio, tomando deles suas economias, para em seguida vendê-los como escravos. Um plano inteligente, até o momento em que ele (e o navio) foram destruídos ao entrar no fogo cruzado entre a frota da Aliança e um navio solitário da Horda. Os goblins sobreviventes foram levados até as terras das Ilhas Perdidas, na costa de Kalimdor, onde descobriram que as densas selvas das ilhas abrigavam muitos mistérios e algumas surpresas desagradáveis.

Montaria Racial
Triciclo

Com os goblins de Borraquilha dividindo as trincheiras com os maiores brutamontes da Horda, um número significativo de mortes por pisoteio têm sido relatadas. Gallywix não se abalou com tais fatos até saber que os contadores renegados de Garrosh se recusaram a pagar os seguros pelas mortes dos soldados que nunca chegaram a efetivamente lutar; acidentais pisões causados pelos movimentos dos taurens dificultaram ainda mais o cálculo de quantos goblins realmente morreram em batalha. Gallywix ofereceu uma substancial recompensa em dinheiro por uma invenção que poderia tanto elevar os goblins, afastando-os do nível dos cascos e acelerá-los a velocidades compatíveis, de modo que os soldados goblins pudessem morrer "de forma calculada e reembolsável".

Centenas de apresentações foram feitas. A maioria explodiu no momento da entrega. No final, o vencedor (e relativamente intacto) foi o robusto triciclo de transporte criado pelo incrivelmente idoso Jibidiah "Sem Dedo", um antigo vendedor de granadas de rua. Anos de contratempos relacionados com o produto tiveram seus frutos neste veloz, durável e quase não explosivo veículo. Jibidiah ganhou alguma notoriedade pela sua criação e agora afirma que Gallywix o pôs a trabalhar arduamente em uma versão turbinada do veículo. A única reclamação de Jibidiah é que a substancial recompensa em dinheiro para a concepção do triciclo está emperrada em uma estranha confusão que envolve burocracia e atrasos na entrega. O Príncipe pede desculpas e promete colocar seus melhores goblins para resolver o problema imediatamente.

Saiba mais sobre as outras raças
WoW Classic
Lançamento mundial em:
Já disponível no mundo todo
Dias
Horas
Min
S