Morto-vivo
Horda
Cadavéricos Sofredores

Ao longo da campanha do Lich Rei para dizimar os vivos de Lordaeron, a morte não trouxe consigo o almejado descanso eterno para os humanos. Em vez disso, aqueles que pereceram foram reerguidos na morte-viva para servir como lacaios do Flagelo, forçados a lutar uma guerra profana contra tudo... e todos... que um dia amaram.

História dos Renegados

Após o término da Terceira Guerra, com o fim do controle do Lich Rei sobre seus vastos exércitos, um contingente de mortos-vivos se libertou da vontade férrea de seu mestre. A liberdade parecia uma bênção, mas a memória dos horrores cometidos em nome do Flagelo logo ressurgiu para atormentar os outrora humanos. Aqueles que não sucumbiram à loucura depararam-se com uma terrível compreensão: toda Azeroth ansiava por destruí-los.

Em seu momento mais sombrio, os execrados mortos-vivos foram arregimentados por Sylvana Correventos, antiga general-patrulheira de Quel'Thalas, que também se libertara do Lich Rei. Sob a liderança da nova rainha, os mortos-vivos independentes — conhecidos como Renegados — fundaram a Cidade Baixa sob as ruínas de Lordaeron.

Visando expandir suas ambições e proteger a emergente nação, Sylvana partiu em busca de alianças. A principal delas deu-se com os taurens do Penhasco do Trovão, que viram nos Renegados potencial de redenção. Desta forma, os taurens convenceram Thrall, então chefe guerreiro da Horda, a forjar uma conveniente aliança com os mortos-vivos. Os Renegados, então, assistiram a Horda numa campanha maciça contra o Lich Rei, e puderam enfim cobrar vingança de seu odioso inimigo.

A vitória, entretanto, veio a um alto custo: o boticário-mor Putriss, traindo os Renegados, disseminou uma nova peste que dizimou igualmente aliados e adversários, enquanto Varimatras, o senhor do medo, apoderava-se da Cidade Baixa com um golpe do qual Sylvana escapou por um fio. Por fim, os usurpadores foram subjugados e a capital dos Renegados, restaurada, mas a situação plantou na Horda uma grande desconfiança a respeito da capacidade de Sylvana de liderar e garantir a lealdade dos mortos-vivos.

A confiança nos Renegados foi restaurada quando Sylvana ajudou a Horda a libertar Orgrimmar do controle do chefe guerreiro Garrosh Grito Infernal, empenhado em escravizar as outras raças sob a supremacia órquica. Agora, libertados, os mortos-vivos fortificam os arredores da Cidade Baixa, preparando-se para um futuro sombrio que consideram inevitável.

Local de início
Clareiras de Tirisfal

Antes coração de Lordaeron, as Clareiras de Tirisfal eram terras de belas colinas e pastagens douradas. Quando o reino dos humanos foi dominado pelo Flagelo, esta região verdejante se transformou em um deserto atormentado, quase incapaz de sustentar o que restou da vida que ainda existia.

Raciais dos Renegados
Determinação dos Renegados
Os renegados possuem a força de vontade para se livrarem de qualquer feitiço, medo ou sono.
Resistência às Sombras
Os renegados possuem resistência natural a magias das sombras.
Canabalizar
Um meio um tanto sinistro para os renegados reabastecerem seus pontos de vida é consumindo cadáveres.
Toque do Túmulo
Os Renegados podem de vez em quando drenar energia vital de seus inimigos e usá-la para restaurar seus corpos.
História dos Renegados

Após o término da Terceira Guerra, com o fim do controle do Lich Rei sobre seus vastos exércitos, um contingente de mortos-vivos se libertou da vontade férrea de seu mestre. A liberdade parecia uma bênção, mas a memória dos horrores cometidos em nome do Flagelo logo ressurgiu para atormentar os outrora humanos. Aqueles que não sucumbiram à loucura depararam-se com uma terrível compreensão: toda Azeroth ansiava por destruí-los.

Em seu momento mais sombrio, os execrados mortos-vivos foram arregimentados por Sylvana Correventos, antiga general-patrulheira de Quel'Thalas, que também se libertara do Lich Rei. Sob a liderança da nova rainha, os mortos-vivos independentes — conhecidos como Renegados — fundaram a Cidade Baixa sob as ruínas de Lordaeron.

Visando expandir suas ambições e proteger a emergente nação, Sylvana partiu em busca de alianças. A principal delas deu-se com os taurens do Penhasco do Trovão, que viram nos Renegados potencial de redenção. Desta forma, os taurens convenceram Thrall, então chefe guerreiro da Horda, a forjar uma conveniente aliança com os mortos-vivos. Os Renegados, então, assistiram a Horda numa campanha maciça contra o Lich Rei, e puderam enfim cobrar vingança de seu odioso inimigo.

A vitória, entretanto, veio a um alto custo: o boticário-mor Putriss, traindo os Renegados, disseminou uma nova peste que dizimou igualmente aliados e adversários, enquanto Varimatras, o senhor do medo, apoderava-se da Cidade Baixa com um golpe do qual Sylvana escapou por um fio. Por fim, os usurpadores foram subjugados e a capital dos Renegados, restaurada, mas a situação plantou na Horda uma grande desconfiança a respeito da capacidade de Sylvana de liderar e garantir a lealdade dos mortos-vivos.

A confiança nos Renegados foi restaurada quando Sylvana ajudou a Horda a libertar Orgrimmar do controle do chefe guerreiro Garrosh Grito Infernal, empenhado em escravizar as outras raças sob a supremacia órquica. Agora, libertados, os mortos-vivos fortificam os arredores da Cidade Baixa, preparando-se para um futuro sombrio que consideram inevitável.

Local de início
Clareiras de Tirisfal

Antes coração de Lordaeron, as Clareiras de Tirisfal eram terras de belas colinas e pastagens douradas. Quando o reino dos humanos foi dominado pelo Flagelo, esta região verdejante se transformou em um deserto atormentado, quase incapaz de sustentar o que restou da vida que ainda existia.

Capital
A Cidade Baixa

Durante a Terceira Guerra, a antes gloriosa capital de Lordaeron foi dizimada por um exército do Flagelo sob o comando do Príncipe Arthas Menethil. Quando os mortos-vivos continuaram a sua campanha contra os vivos através do continente, apenas um pequeno contingente das forças de Arthas foi deixado para trás para criar a nova cidade abaixo da capital em ruínas. No entanto, esses planos foram abandonados quando Arthas partiu para Nortúndria a fim de auxiliar seu mestre, o Lich Rei.

Anos mais tarde, a Rainha Sylvana e seus mortos-vivos rebeldes conhecidos como os Renegados, reivindicaram a posse da Cidade Baixa e concluíram a sinuosa rede de catacumbas e criptas que o Flagelo havia começado a construir. Apesar de ter sido momentaneamente tomada pelos traidores, o Boticário-mor Putriss e o Senhor do Medo Varimatras, a Cidade Baixa permaneceu sob o firme controle de Sylvana desde então. Hoje, rios de lama tóxica correm através de todas as vias da vasta cidade. Os gases tóxicos e odores fétidos que permeiam todos os cantos da fortaleza fizeram dela um lugar quase insuportável para os membros vivos da Horda. No entanto, para Sylvana e seus amaldiçoados seguidores, a Cidade Baixa tornou-se um refúgio muito necessário em um mundo onde sua espécie ainda é temida e perseguida.

Líder
Sylvana Correventos

Em vida, Sylvana Correventos foi a valente Patrulheira-general de Quel'Thalas, uma elfa superior cuja liderança e habilidade marcial foram inigualáveis. Durante a Terceira Guerra, ela corajosamente defendeu seu reino da invasão liderada pelo cavaleiro da morte Arthas. No entanto, Sylvana foi derrotada e, em vez de honrar a patrulheira com uma morte rápida, Arthas arrancou sua alma e a transformou numa banshee: um ardiloso e vingativo agente do Lich Rei movido pelo ódio.

Montaria Racial
Cavalo Descarnado

Quando a praga dos mortos-vivos do Lich Rei varreu Lordaeron, ela dizimou mais do que apenas a população do reino humano. Muitos dos cavalos nobres que viviam na região também sucumbiram à aflição e, à semelhança do que ocorreu com suas contrapartes humanas, a eles não foi concedida a paz na morte.

Saiba mais sobre as outras raças
WoW Classic
Lançamento mundial em:
Já disponível no mundo todo
Dias
Horas
Min
S