Worgen

Aliança

Reclusos Amaldiçoados

Por trás da imponente Muralha Greymane, uma terrível maldição se espraiou pela isolada nação humana de Guilnéas, transformando muitos de seus intrépidos cidadãos nas aterradoras feras lupinas conhecidas como worgens. Estudiosos humanos debateram acaloradamente sobre as origens da maldição worgen até a revelação de que as feras originais não eram, como se acreditava, pesadelos de outra dimensão, mas druidas noctiélficos amaldiçoados.

História dos Worgens

Tempos atrás, em meio a uma guerra brutal entre elfos noturnos e sátiros demoníacos em Kalimdor, um grupo de druidas adquiriu a habilidade de assumir uma nova e poderosa forma, ainda que incontrolável, encarnando a fúria de Goldrinn, o lobo ancestral. Ensinados por Ralaar Presaflâmea, os Druidas da Matilha almejavam usar a Foice de Eluna, um artefato místico, para apaziguar a fúria incontrolável que dominava a forma que tanto cobiçavam.

Em vez de acalentar a fúria dos druidas, entretanto, a Foice transformou Ralaar e seus seguidores em worgens: humanoides bestiais escravizados pelos próprios instintos primevos.

Os druidas de Ralaar dilaceraram igualmente amigos e inimigos. Os elfos noturnos feridos pelas criaturas contraíram a virulenta maldição, que também os transformou em worgens. Desesperado por deter a propagação da moléstia, o arquidruida Malfurion Tempesfúria baniu os worgens para uma parte do Sonho Esmeralda — o mundo espiritual de Azeroth —, onde dormiriam pacificamente por toda a eternidade.

Contida por milênios, a ameaça dos worgens permaneceu sob controle até Arugal, o arquimago, retirar as feras lupinas do Sonho. Evocados por ordem do rei Genn Greymane, os worgens lutaram contra as forças do Flagelo que invadiam o reino de Guilnéas. Assim, em pouco tempo as criaturas ferais disseminaram a maldição da qual eram portadores entre a população humana, infectando soldados guilneanos baseados além da Muralha Greymane.

Sentindo-se responsáveis pela criação da maldição e pela destruição por ela causada, os elfos noturnos concordaram em ajudar os guilneanos. Nem mesmo com a Foice de Eluna lhes foi possível curar permanentemente a maldição, mas eles lograram ensinar aos guilneanos o controle da transformação entre uma forma e outra. Agora, os disciplinados worgens uma vez mais se aliam à Aliança, preparados para lutar e manter sua humanidade e seu lugar na sociedade.

Área Inicial

Cidade de Guilnéas

Por muitos anos, a nação de Guilnéas viveu isolada atrás da colossal Muralha Greymane. Livre de influência externa, o reino baseou-se no espírito indomável e na tenacidade dos seus cidadãos para traçar o seu próprio destino no mundo. Mais tarde, no entanto, uma série de eventos abalou Guilnéas profundamente. Enquanto a nação se esforçava para se recuperar de uma guerra civil anterior, a devastadora maldição worgen se espalhou por toda Guilnéas, transformando alguns de seus habitantes em bestas ferozes.

Raciais dos Worgens

Correndo Livre
Use os quatro membros para correr tão rápido quanto um animal selvagem. Quem precisa de montaria quando pode simplesmente sair correndo?
Aberração
O Worgen tem uma resistência natural aos danos de Sombra e Natureza.

Velonero
Ativa a sua verdadeira forma, aumentando consideravelmente sua velocidade de movimento por um curto período de tempo.
Rancapele
As garras dos Worgens são muito afiadas e eles podem rapidamente esfolar animais mortos.
Agressividade
Worgens lutam com a ferocidade de um predador-alfa e têm mais chance de obter acertos críticos.
Duas Formas
Worgen pode entrar e sair da forma humana, enquanto não estiver em combate.

Classes Disponíveis

Guerreiro
Guerreiro
Guerras vêm e vão, mas há heróis que se dedicam a dominar todos os aspectos da arte da batalha sem descanso. Guerreiros combinam força, liderança e vasto conhecimento em armas e armaduras para criar o caos no campo de batalha.
Caçador
Caçador
Desde os primórdios, o chamado da natureza tira alguns aventureiros do conforto de suas casas para a implacável realidade do mundo selvagem. Aqueles que sobrevivem se tornam caçadores.
Ladino
Ladino
Para ladinos, o único código é o contrato e sua honra só pode ser comprada com ouro. Livres das amarras da consciência, estes mercenários aplicam táticas brutais e eficientes.
Sacerdote
Sacerdote
Sacerdotes são devotos do aspecto espiritual e expressam sua fé inabalável ao servir à população. Séculos atrás eles saíram da segurança de seus templos e do conforto de seus santuários para dar suporte a seus aliados em terras devastadas pela guerra.
Mago
Mago
Somente estudantes dotados de grande intelecto e inabalável disciplina podem seguir o caminho da magia. A mágica arcana à disposição dos magos é deslumbrante e perigosa ao mesmo tempo e por isso só é revelada aos praticantes mais devotados.
Bruxo
Bruxo
Frente a poderes demoníacos, a maioria dos heróis vê a morte. Bruxos veem apenas oportunidades. Dominação é seu objetivo e o caminho encontrado para isso está no controle das artes sombrias. Para auxiliá-los em seus planos, tais feiticeiros evocam ajudantes monstruosos para lutarem ao seu lado.
Druida
Druida
Druidas controlam os vastos poderes da natureza para preservar o equilíbrio e proteger a vida. Como mestres da transformação, druidas podem tomar a forma de várias feras, como ursos, gatos, pássaros e leões marinhos com facilidade.
Cavaleiro da Morte
Cavaleiro da Morte
Quando o controle do Lich Rei sobre seus Cavaleiros da Morte foi quebrado, seus ex-campeões uniram-se para vingar as atrocidades cometidas sob ordens dele.

História dos Worgens

Tempos atrás, em meio a uma guerra brutal entre elfos noturnos e sátiros demoníacos em Kalimdor, um grupo de druidas adquiriu a habilidade de assumir uma nova e poderosa forma, ainda que incontrolável, encarnando a fúria de Goldrinn, o lobo ancestral. Ensinados por Ralaar Presaflâmea, os Druidas da Matilha almejavam usar a Foice de Eluna, um artefato místico, para apaziguar a fúria incontrolável que dominava a forma que tanto cobiçavam.

Em vez de acalentar a fúria dos druidas, entretanto, a Foice transformou Ralaar e seus seguidores em worgens: humanoides bestiais escravizados pelos próprios instintos primevos.

Os druidas de Ralaar dilaceraram igualmente amigos e inimigos. Os elfos noturnos feridos pelas criaturas contraíram a virulenta maldição, que também os transformou em worgens. Desesperado por deter a propagação da moléstia, o arquidruida Malfurion Tempesfúria baniu os worgens para uma parte do Sonho Esmeralda — o mundo espiritual de Azeroth —, onde dormiriam pacificamente por toda a eternidade.

Contida por milênios, a ameaça dos worgens permaneceu sob controle até Arugal, o arquimago, retirar as feras lupinas do Sonho. Evocados por ordem do rei Genn Greymane, os worgens lutaram contra as forças do Flagelo que invadiam o reino de Guilnéas. Assim, em pouco tempo as criaturas ferais disseminaram a maldição da qual eram portadores entre a população humana, infectando soldados guilneanos baseados além da Muralha Greymane.

Sentindo-se responsáveis pela criação da maldição e pela destruição por ela causada, os elfos noturnos concordaram em ajudar os guilneanos. Nem mesmo com a Foice de Eluna lhes foi possível curar permanentemente a maldição, mas eles lograram ensinar aos guilneanos o controle da transformação entre uma forma e outra. Agora, os disciplinados worgens uma vez mais se aliam à Aliança, preparados para lutar e manter sua humanidade e seu lugar na sociedade.

Área Inicial

Cidade de Guilnéas

Por muitos anos, a nação de Guilnéas viveu isolada atrás da colossal Muralha Greymane. Livre de influência externa, o reino baseou-se no espírito indomável e na tenacidade dos seus cidadãos para traçar o seu próprio destino no mundo. Mais tarde, no entanto, uma série de eventos abalou Guilnéas profundamente. Enquanto a nação se esforçava para se recuperar de uma guerra civil anterior, a devastadora maldição worgen se espalhou por toda Guilnéas, transformando alguns de seus habitantes em bestas ferozes.

Capital

Cidade de Guilnéas

Recentemente estes selvagens worgens lançaram um ataque surpreendente contra a fortificada capital do reino, Cidade de Guilnéas. Os cidadãos que não foram infectados se armaram em defesa de seu lar e agora estão lutando contra os worgens através das sinuosas ruas de paralelepípedos e estreitas vielas da cidade. Ainda sem sinais de abrandamento, a ameaça worgen suscitou temores de que talvez os dias de sobrevivência autônoma de Guilnéas tenham chegado ao fim.

Montaria Racial

Correndo Livre

Devido aos seus laços com a vida selvagem, os worgens são capazes de invocar seu fervor bestial para viajar grandes distâncias. Com a ajuda de todos os quatro membros, um worgen pode atingir grandes velocidades e rivalizar com os mais velozes cavalos, sabres e avestruzes. Como isso satisfaz alguns instintos primitivos mais profundos, os worgens preferem este modo de viajar aos modos utilizados pelas outras raças de Azeroth, que dependem de montarias para transportá-los.

Saiba mais sobre as outras raças